Hidrogénio como combustível em empilhadores: é o futuro?

Mudanças climáticas, respeito pelo ambiente ... Conceitos cada vez mais presentes no dia a dia. As pessoas tomam consciência do aumento contínuo da utilização de todo o tipo de recursos, sejam alimentos, água ou matérias-primas, entre outros. E as empresas também colocam a sustentabilidade como uma das bandeiras que devem nortear a sua atuação. Para atingir esse objetivo, o uso de hidrogénio como combustível é cada vez mais comum.

Hidrogénio em empilhadores 

Na Toyota, quando se fala sobre combustíveis, surgem sempre os empilhadores. Atualmente, estes são o principal mercado para as células de combustível de hidrogénio, pois, como se verá mais adiante, combinam o melhor entre o respeito pelo ambiente de um empilhador elétrico e o mínimo tempo para reabastecimento de um motor de combustão interna. 

funcionamento de um empilhador movido a hidrogénio é basicamente o seguinte: 

  • O combustível de hidrogénio é fornecido de um depósito para a pilha de células de combustível, onde é combinado com o oxigénio. 
  • O hidrogénio reage com o oxigénio e, nesse processo, é libertada energia elétrica. 
  • A bateria então transfere essa energia para dois pontos: o motor de tração (para mover o empilhador) e o motor da bomba (necessário para as funções de elevação e inclinação do mastro/garfos). 

 

O hidrogénio pode ser armazenado por longos períodos de tempo, geralmente em estado gasoso, em grandes botijas ou em tanques de combustível em camiões. 

Na hora de reabastecer, o processo é extremamente simples e não demora mais do que três minutos: 

  • Retiram-se os dados sobre o uso e consumo de combustível do empilhador. 
  • A água residual é drenada do empilhador. 
  • Enche-se o depósito de hidrogénio do empilhador.

Vantagens e desvantagens do uso de hidrogénio em empilhadores

Quando se trata de decidir sobre o uso de hidrogénio em empilhadores, os prós superam os contras (ainda que também existam).

Vantagens do hidrogénio em empilhadores

  • Zero emissões de CO2: o único resíduo é água destilada. 
  • Economia de tempo: o reabastecimento é concluído em três minutos.
  • Flexibilidade: o carregamento pode ser feito no interior ou no exterior e é possível um enchimento extra antes dos horários de pico, sem reduzir a vida útil do sistema. 
  • Menos espaço de armazenamento. 
  • Utilização segura. 
  • Adaptação fácil: não é complicado adaptar os empilhadores para uso do hidrogénio. 
  • Possibilidade utilização em câmaras frigoríficas: o hidrogénio trabalha na faixa de -30º C a 40º C. 
  • Especialmente perfeito para frotas grandes ou complexas com vários turnos.
  • Produção local: é uma grande vantagem quando o consumidor possui capacidade de produção própria em oposição à necessidade de abastecimento externo. 

Desvantagens do hidrogénio em empilhadores

O principal contratempo encontrado é a dificuldade de obtenção de hidrogénio.  

As opções são duas (que se dividem em três): 

 

  • Fornecimento externo: 
    • Transporte em camiões para armazenamento no local 
    • Transporte por meio de gasodutos até o armazém 
  • Produção local: a empresa precisa ter um eletrolisador, alimentado por exemplo por painéis solares, que permita gerar hidrogénio. 

Hidrogénio e empilhadores. Que futuro nos espera?

A utilização de hidrogénio como combustível em empilhadores é o futuro e, em muitos casos, já é o presente. 90% da gama de empilhadores elétricos da Toyota está disponível com essa tecnologia. Além disso, a energia de hidrogénio também é usada nas fábricas Toyota no Japão e em Itália, bem como em parceiros na França, Noruega e Finlândia. 

Além das desvantagens acima mencionadas, é necessário considerar os - às vezes exasperantes - requisitos legais e técnicos, bem como o elevado investimento inicial necessário para a instalação de hidrogeradores. 

Porém, com a generalização do uso deste tipo de energia, é certo que ambos os aspetos irão melhorar no futuro. Além disso, é um investimento que se paga facilmente, principalmente pela economia nos custos operacionais. 

O tempo exato para se chegar a uma amortização total dependerá da dimensão da frota, do setor da empresa e, em última instância, da operação. Aspetos que devem ser analisados ​​com atenção antes da decisão final. 

 

Como regra geral, a utilização de hidrogénio como combustível, em empilhadores, faz mais sentido para grandes frotas que operam num único local. Haverá também um retorno notável no caso de máquinas utilizadas em vários turnos ou que apresentem trocas contínuas de baterias. 

 

Empilhadores com célula de combustível de hidrogénio serão para si?

Faça o nosso teste

 
Toyota Caetano Portugal - Empilhadores
Gestão Produto
 
Se está interessado em acompanhar o setor siga-nos nas redes sociais /Subscreva a nossa newsletter:
 

Subscrever Newsletter
Limpar tudo