A bateria está quente - Dicas para trabalhar em segurança com baterias e carregadores

Os equipamentos elétricos estão “hot” em todos os sentidos. Não só pelo facto do número de equipamentos elétricos de movimentação de carga movidos a eletricidade continuar a aumentar ao longo dos anos, mas também com a inovação em novas tecnologias de energia, apesar de, para muitas empresas, as soluções tradicionais ainda fazerem todo o sentido.

Cada vez vemos mais automóveis elétricos na via pública. Mas nos armazéns e no ambiente de fábrica, 'elétrico' há muito que predomina. Afinal, os equipamentos elétricos são silenciosos e livres de emissões. E isto encaixa-se perfeitamente com a crescente consciencialização ambiental e energética das empresas. 

Novos conceitos de energia inteligente, como baterias de iões de lítio e células de combustível de hidrogénio , vão ainda mais longe. Estas alternativas são mais amigáveis ​​para o meio ambiente e também oferecem vantagens das quais pode beneficiar na prática, diariamente. Desta forma, a energia gerada pode ser aproveitada da melhor forma ou o processo de carregamento pode ser acelerado. No entanto, a bateria convencional de chumbo-ácido ainda continua a ser a mais popular.  

Saiba em que situações cada uma das soluções é mais vantajosa 

Muita emoção 

A bateria de chumbo-ácido também pode estar “hot”. Aliás, esta pode literalmente ficar (muito) quente, especialmente se o processo de carregamento ou mudança de bateria não for realizado corretamente. O manuseamento inteligente e cuidadoso de baterias e carregadores evita graves riscos e custos. 

Uma bateria de tração tem uma tensão de 'apenas' 24, 48, 72, 80 ou 96 Volts, o que é significativamente mais baixo do que os 230 Volt que possuem as tomadas comuns das habitações. Mas para equipamentos de grande intensidade, além da tensão (voltagem), o fluxo da corrente elétrica também é importante de considerar. Numa habitação comum a intensidade da corrente é normalmente de apenas 16 Amperes. Já num empilhador elétrico ligeiro com uma bateria de 24V, esta pode facilmente exceder 700 Amperes.   

Com uma bateria de 80V com 500 Amperes já tem que ter muito cuidado. Afinal, Potência = Volt x Ampere, e deve ter em conta que não há fusível entre a bateria e o equipamento - ao contrário do que acontece no quadro elétrico domiciliário. Em caso de curto-circuito, a corrente não é interrompida automaticamente. 

Ácido e explosivo 
Durante o carregamento da bateria, pode ser libertado hidrogénio. Este gás é explosivo e basta uma pequena faísca para causar consequências catastróficas. Fumar perto da bateria é por isso mesmo, altamente não recomendado. Colares, pulseiras e ferramentas também são potenciais fontes de curtos-circuitos, e por isso nunca devem entrar em contacto com os terminais da bateria, ao trocar a mesma ou no processo de enchimento das células da bateria. 

E ainda há o eletrólito. Extremamente agressivo, é popularmente conhecido como ácido de bateria, e a sua alta acidez pode no mínimo estragar a roupa, mas chegar mesmo a queimar a pele. 

Roupas de proteção, resistente a ácidos, óculos de segurança e luvas são, portanto, indispensáveis ​​ao trabalhar com a bateria. Recomendável é o uso de gotas oftálmicas. 

 

Reabastecimento 
Cargas intermediárias, são também de prestar atenção. Durante a vida útil de uma bateria de chumbo-ácido, é importante que esta tenha sido descarregada até 20 por cento da sua capacidade residual antes de ser colocada de volta no carregador. Carregar muito cedo tem um efeito negativo na vida útil da bateria. Carregamento de oportunidade, portanto, não é recomendado. 

Para baterias mais modernas, como baterias de iões de lítio, níquel-cádmio ou gel, uma tomada de carga extra, por exemplo, na cantina, pode ser útil.  

Economiza muito tempo para os operadores e evita registos de inatividade para o empregador. Além disto, carregar durante o intervalo de meia hora, pode fornecer a quantidade de energia necessária para completar o turno de trabalho. Obviamente, deve ser sempre usado um carregador adequado para este tipo de baterias. 

 

Carregamentos de forma correta - trabalhar com segurança 
Nunca é de mais reforçar que o carregamento em si deve ser sempre feito da forma correta. Mesmo que a sala de carregamento cumpra todos os requisitos técnicos e todas as precauções tenham sido tomadas, ainda assim, não é garantido um processo de carregamento seguro. O fator mais importante é e continua a ser o fator humano. Se o funcionário não tiver o conhecimento certo, um acidente está ao virar da esquina. Fique atento às ações corretas para conectar (e desconectar) a bateria ao carregador:  

Conectar ao carregador 

  • Desligue a ignição e ative o travão de mão 
  • Desconecte a bateria do equipamento 
  • Verifique o eletrólito 
  • Verifique se o isolamento dos cabos está correto 
  • Conecte a bateria ao carregador 
  • O carregador começará a carregar automaticamente 
  • Verifique se o carregador está a funcionar corretamente 

Desligar do carregador 

  • Verifique se o processo de carregamento está completo 
  • Cuidado com a formação excessiva de gás 
  • Informe sobre baterias gastas imediatamente 
  • Desligue o carregador pressionando o botão de pausa ou parar 
  • Desconecte o carregador da bateria 
  • Esconda cuidadosamente os cabos do carregador 
  • Verifique se a ignição está desligada 
  • Conecte a bateria ao equipamento 

 

 

Poster de Segurança

Aceda a recomendações de segurança no nosso poster sobre Baterias e Carregadores

POSTER DE SEGURANÇA (GRATUITO)

 
Toyota Caetano Portugal - Empilhadores
Gestão Produto
 
Se está interessado em acompanhar o setor siga-nos nas redes sociais /Subscreva a nossa newsletter:
 

Subscrever Newsletter
Limpar tudo